Êxtase


home


Mensagem


Arquivo


Theme
"Sou como você me vê. Posso ser leve como uma brisa ou forte como uma ventania, depende de quando e como você me vê passar." - Clarice Lispector"

nature & hippie blog
nature & hippie blog 


+
Na vida, a gente somente depende de alguém que confie na gente, que não desista da gente. Uma âncora, um apoio, um ferrolho, um colo.
Fabrício Carpinejar.  (via romantizar)

+
Eles se amam. Todo mundo sabe mas ninguém acredita. Não conseguem ficar juntos. Simples. Complexo. Quase impossivel. Ele continua vivendo sua vidinha idealizada e ela continua idealizando sua vidinha. Alguns dizem que isso jamais daria certo. Outros dizem que foram feitos um para o outro. Eles preferem não dizer nada. Preferem meias palavras e milhares de coisas não ditas. Ela quer atitudes, ele quer ela. Todas as noites ela pensa nele, e todas as manhãs ele pensa nela. E assim vão vivendo até quando a vontade de estar com o outro for maior do que os outros. Enquanto o mundo vive lá fora, dentro de cada um tem um pedaço do outro. E mesmo sorrindo por ai, cada um sabe a falta que o outro faz. Nunca mais se viram, nunca mais se tocaram e nunca mais serão os mesmos. É fácil porque os dias passam rápidos demais, é difícil porque o sentimento fica, vai ficando e permanece dentro deles. E todos os dias eles se perguntam o que fazer. E imaginam os abraços, as noites com dores nas costas esquecidas pelo primeiro sorriso do outro. E que no momento certo se reencontrem e que nada, nada seja por acaso.
Tati Bernardi. (via autorias)

+
As pessoas não se apaixonam muito hoje em dia, ninguém mais oferece moletons quando você está molhado. Elas preferem estudar, ganhar dinheiro e viver outras experiências. Faça uma enquete rápida e concluirá que quase ninguém crê no amor. Quanto mais você sabe da vida, menos você se apaixona. A paixão nasce da ignorância: quanto menos sei sobre você, e mais eu quero saber, mais vulnerável eu fico.
Gabito Nunes. (via tipografado)

+
Sempre me senti diferente dos outros. Não mais bonita, não mais inteligente, não mais especial, não mais esperta, não mais maluca, não mais legal, apenas diferente. Sou diferente na forma de sentir, tudo que me toca, me toca fundo. Tudo que me alegra, me alegra muito. Tudo que me dói, dói forte, corta.
Tati Bernardi. (via repouse)

+
A vida é como uma maré, quem não sabe surfar se afoga.
— Os 10 motivos.  (via decifrei)


+
Falar sobre ti ou escrever ainda é um pouco complexo demais. É como se eu falasse de uma parte de mim, ou a falta da mesma, como se tu tivesse vivido uma vida inteira do meu lado em apenas meses, e esses mesmos meses tenham se acabado. É de alguma forma difícil, ou de todas as possíveis formas muito difícil falar sobre um sentimento que ainda existe mas não vive mais. As vezes quando deito sinto a falta daquele braço que me servia de travesseiro e o outro que passava por volta da minha cintura, que de alguma forma me protegia. Sinto falta até daquele maldito celular que despertava cedo pra avisar que eu tinha que trabalhar e consequentemente te deixar ali, não faz ideia o quanto isso era corrosível pro meu coração. Ou então quando vou tomar banho e não tenho aquela presença que mais me fazia cócegas e deixava cair shampoo nos meus olhos seguida de um “desculpa amor” e me jogava água no rosto. Lembro também de quando caminhávamos as 4:00 da manhã em uma rua deserta e tu me aturava falando mil vezes por minuto que eu tava com medo de andar ali. Ou quando saíamos pra comer e tu ficava olhando eu mais me lambuzar do que comer e ria da minha cara, mas limpava o meu rosto depois. E ainda quando íamos ver um filme que nunca conseguíamos chegar ao final dele. Droga! Eu queria apontar também os teus mil defeitos e dizer o quanto eu te odeio e o quanto me fizesse mal, o quanto me fizesse dormir chorando ou varar madrugadas atrás de notícias tuas, mas os momentos de felicidade foram tantos que os ruins fogem da minha cabeça quando falo em ti, droga! Lembra quando eu te esperava chegar da aula com a janta pronta e os braços abertos? Lembra também dos domingos que acordávamos 13:00 horas e falamos quase juntos “coisa boa acordar essa hora contigo”… Ai ai, já que nos partimos ao meio, porque esse sentimento não se parte também e resolve partir de mim? Porque eu inteira já te amava, aos pedaços te amo um pouco mais, mais sofrido também, mais doloroso, mais com saudade, mais com agonia, mais nada. Chega de me destilar por algo que foi, e que não volta! Porque pra viver amor, é preciso mais que ele e isso entre nós é algo impossível. Somos tudo de bom que vivemos, somos feitos de saudade também. Saudade boa, saudade pra se guardar e só.
—  - Droga, eu escrevi sobre ele de novo. Fc 18/04/14




+
E no final a gente, só quer amar e ser amado.
Guilherme Sabino.    (via felicidadeadois)

+

1 2 3 4 5 »
Layout por:
silenciar